A sacanagem com Fagner

Marco Bello

Setorista do Corinthians desde 2009 pela Rádio Transamérica, Marco Bello acompanha o dia a dia do clube

ver detalhes

A sacanagem com Fagner

A sacanagem com Fagner

Fagner foi convocado para a Seleção Brasileira nesta segunda-feira

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Desde a notícia da convocação de Fagner para a Seleção Brasileira que disputará a Copa do Mundo, uma avalanche de críticas tem pipocado nos programas esportivos e nas redes sociais.

Críticas que já aconteciam, mas que aumentaram demais após o corte de Daniel Alves e a possibilidade de Fagner ser titular da Seleção na Copa.

Violento. Desleal. Fraco. São vários os adjetivos usados.

Fazendo uma pequena pesquisa, esses adjetivos são facilmente rebatidos com números.

Em 2015, Fagner atuou em 51 partidas e levou 11 cartões amarelos. Em 2016, em 58 partidas foram 13. E em 2017, 56 jogos, 5 cartões. Neste período, foram apenas 2 cartões vermelhos, menos de um por ano.

A fama de violento vem desde o dia 3 de julho de 2016, quando o lateral-direito do Corinthians deu uma entrada dura no meia Ederson do Flamengo, em jogo realizado na Arena.

O árbitro da partida, Heber Roberto Lopes, não marcou a falta. Errou. Ederson teve uma lesão no joelho direito e ficou mais de dez meses fora dos campos.

Jogada dura, violenta, desproporcional. Merecia expulsão. Talvez até um gancho de algumas partidas.

Desleal? Não.

Sobre o outro adjetivo, fraco:

Fagner é titular do Corinthians desde 2014. Cinco anos consecutivos. Líder em assistências no Brasil em quatro destes cinco anos. Dois títulos brasileiros conquistados. Dois estaduais também. Todos como titular. Tem experiência no futebol da Europa. Veste a camisa da Seleção Brasileira desde o começo da “Era Tite, em 2016.

Só creio que todas essas críticas partam de pessoas que associem o jogador ao clube. Fagner começou a carreira e sempre foi muito ligado ao Corinthians.

Ao mesmo tempo, o jogador nunca deu uma declaração polêmica, suas entrevistas são sempre neutras, tranquilas.

É um cara família, não costuma ser visto em noitadas, pelo contrário. Seu filho, Henrique, sempre acompanha o jogador nos treinos no CT Joaquim Grava e nas premiações.

Por todo o exposto acima, é sim MUITO JUSTO que o jogador esteja na Copa. E que brigue por uma vaga como titular, sim. O resto é mimimi.

Veja mais em: Fagner e Corinthianos na Seleção.

Coluna do Marco Bello

Por Marco Bello

Marco Bello é jornalista, apresentador e repórter da Rede Transamérica de Rádio, setorista do Corinthians desde 2009

O que você achou do post do Marco Bello?

  • 1000 caracteres restantes